HyperModernos

Tempos Hipermodernos – Sebastien Charles e Gilles Lipovetsky

Artur Júnior dos Santos Lopes

É possível uma análise de nosso tempo? Como podemos descrever o que vivemos? Quais as motivações que influenciam a vida deste período? Existem alternativas para o que nosso tempo exige?

Algumas vezes, em filosofia, dizemos que as perguntas são mais interessantes que as respostas. Não é isso que acontece com o texto Tempos Hipermodernos de Sebastien Charles e Gilles Lipovetsky. Depreende-se deste texto que é possível analisar algo. Procurar a possível imparcialidade, verificar pontos positivos e negativos, estabelecer as dimensões e buscar as causas. Sem que para isso precise-se, necessariamente, incorrer em um juízo de valor. Percebe-se daí um grande respeito à intelectualidade humana, que mesmo que precise de muito desenvolvimento, acredita-se ser capaz de escolhas coerentes.

A abordagem, ora realizada, por Charles e Lipovetsky privilegiam o pensamento autônomo e buscam o desenvolvimento dos seus leitores através de instigantes perguntas e apresentam respostas que não tem o intuito de desvelar uma verdade, mas uma possibilidade, mesmo que bem estudada, pode ser revista.

Recomendo a leitura do texto.

Muito obrigado!

Porto Alegre, 10 de Dezembro de 2007


Comments