2014 - Dia do Trabalhador


Artur Júnior dos Santos Lopes

Gostaria que este dia fosse um convite ao trabalhador. Um convide que nos entreguemos ao ócio. A atividade lúdica de sonhar. A atividade de pensar em si. A atividade de enxergar-se. A atividade de refletir sobre si mesmo. Não desejo que este seja um dia de trabalho, mas de OPUS[1]. Dedicar-se ao que dá prazer. Ouvir uma música. Ouvir pessoas. Ler algo. Jogar conversa fora. Para isso o ócio é fundamental. Não estar preocupado com o que precisa ser feito para que o prato esteja à mesa logo mais. Ou com as contas por pagar. Ou com o mundo lá fora.

Gostaria que o dia do trabalhador fosse um convite ao exercício da preguiça. Um convite a entregar-se ao sentimento de comprometimento consigo mesmo. Um convite a um olhar para além dos muros, dos consumos, dos capitais, das lógicas, das produções, das academias, dos textos. Um convite a olhar para simplesmente a vida. Para admirá-la. Para amá-la. Para perceber o que precisa ser mudado, não fora, mas dentro.

Gostaria que o dia do trabalhador, fosse um momento sagrado onde pudéssemos, todos nós, dar valor ao que realmente tem valor, pois creio que no atropelo do dia a dia, no mundo do negócio, nossa capacidade de enxergar o valor fica obscurecida.

 

Sê feliz, ilumina-te!!!

 

Porto Alegre, 1º de Maio de 2014



[1]  (http://elogioapreguica.com.br/?page_id=101).

Comments