O Sabor do Momento

Artur Júnior dos Santos Lopes

Saborear o momento. Parece uma mistura de culinária com física. Rio-me. Na verdade a minha inspiração remete a um tempo que tanto uma quanto outro tinham diversas dimensões.
Refiro-me a época vedantina. Tempo quando o Sr. Shakia do clã dos Muni, um indiano jovem, ao deparar-se com as misérias humanas: as dores, a morte e a velhice, percebeu a importância do momento.
Saborear o momento é algo mui sábio. Pois que o momento é unico. Tomistas e Agostinianos tem fartos exemplos disso.
Mas que importa. O fato é que existe uma grande diminuição da ansiedade e da angústia existencial quando deixamos as projeções e nos deixamos soltos a saborear o instante.
Agora, deem-me um crédito! Não pensem que apologizo a imobilidade contemplativa. Apenas destaco que em alguns instantes perceber a dor, sentí-la, compreendê-la tem valia para a superação.
Não trago solução mágica. Apenas o lembrete: existem tantos caminhos quantos nossa imaginação possa prover.


Wielen Dank!

Porto Alegre, 17 de Julho de 2006

Comments